Cronologia Política


Trabalho, transparência e honestidade. Em poucas palavras, esta é a melhor definição para os 30 anos da vida pública de Carlos Apolinario. Uma história política de muitos anos e mandatos, sem manchas de corrupção e com a marca do trabalho sério e incansável para melhorar a vida de toda sociedade.


1982 seta

Candidato pelo PMDB, Apolinario é eleito deputado estadual pela primeira vez e tem uma ativa participação nas questões públicas e sociais, que lhe proporcionam um justo reconhecimento nas urnas;


1986 seta

Já reeleito para um novo mandato, Apolinario reafirma o perfil de político sério, austero e dotado de grande afinidade com as questões sociais e processos de administração pública;


1990 seta

Consagrado nas urnas pela terceira vez, Apolinario justifica a confiança de seus eleitores com números expressivos. Ao todo, em seus três mandatos, foram 72 projetos de lei, 43 emendas a constituição e 798 pareceres nas comissões técnicas;


1991 seta

O trabalho destacado de Apolinario o conduz à presidência da Assembléia Legislativa de São Paulo, onde inicia uma campanha de moralização nunca antes vista no legislativo paulista. Em apenas 100 dias após assumir o cargo, foram votados mais projetos do que em todo ano anterior, alguns engavetados desde 1983. Além disso, cortou regalias injustificadas, mesmo com os protestos e boicotes de muitos deputados;


1992 seta

Apolinario assume interinamente o cargo de governador do estado e sua passagem pelo cargo mais uma vez reforça seu jeito de trabalhar: firmeza, austeridade, transparência e principalmente, jeito para governar;


1995 seta

Após quase uma década de bons serviços prestados ao estado de São Paulo, chega o momento de trabalhar pelo país e Carlos Apolinario é eleito deputado federal com significativos 164.840 votos;


1997 seta

Na câmara federal, Apolinario se torna vice-líder do PMDB e relator da Lei Eleitoral, que garantiu ao país a liberdade política e a eqüidade entre os partidos, imprescindível para o estabelecimento de um Estado realmente democrático;


1998 seta

Apolinario é suplente de deputado federal;


2000 seta

Apolinario sai vitorioso nas eleições para vereador, e mesmo com a possibilidade de assumir a cadeira de deputado federal em 2001, prefere assumir o desafio de voltar a sua cidade e contribuir com sua experiência na melhoria das condições da capital Paulista;


2002 seta

Após 20 anos de fidelidade política ao PMDB, Apolinario aceita o convite do PGT (Partido Geral dos Trabalhadores), para assumir um projeto de maior amplitude: disputar o cargo de Governador do Estado. Com apenas 28 segundos no horário eleitoral gratuito, Apolinario conseguiu ser o quarto candidato mais votado, com 704 mil votos, deixando para trás partidos históricos como o PTB, o PPS e também o PMDB;


2003 seta

Após o PGT fundir-se ao PL, Carlos Apolinario filia-se ao PDT, partido que sempre lutou pelos trabalhadores e por educação, bandeiras também defendidas por Apolinario. Em seu novo partido, Apolinario tornou-se o líder na Câmara Municipal de São Paulo;


2004 seta

Mais uma vez as urnas consagraram o trabalho de Apolinario, que é reeleito como o vereador mais votado de seu partido com 44.526 votos;


2006 seta

Apolinario é candidato ao governo do Estado de São Paulo pelo PDT. Embora não tenha sido eleito governador, Apolinario mostra que é possível fazer política de maneira limpa, baseada em valores morais e éticos. Durante toda campanha, Apolinario se preocupou em se apresentar melhor ao povo de seu estado, mostrando sua trajetória de um passado limpo, nunca tendo se envolvido em nenhum tipo de escândalo. Apolinario apresenta propostas reais para São Paulo e termina a campanha como um exemplo a ser seguido.


2007 seta

Apolinario aceita o convite para se filiar ao PFL, e participa em Brasília da fundação do Democratas, que se consolida como um dos maiores partidos do País. Na Câmara Municipal, Apolinário se destaca como articulador para a aprovação de importantes leis para a cidade de São Paulo.


2008 seta

Apolinario assume a liderança da bancada do Democratas na Câmara Municipal de São Paulo e, em outubro, se reelege para o terceiro mandato de vereador. Foi o reconhecimento do eleitor da capital paulista ao trabalho austero que desenvolve em defesa dos interesses da população de São Paulo.


2009 seta

No primeiro ano de seu terceiro mandato, o vereador Carlos Apolinario é reconduzido à liderança do Democratas e, como presidente da Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente, dirige os trabalhos de revisão do Plano Diretor Estratégico, uma das mais importantes leis da cidade. Para garantir maior participação popular, realiza mais de 50 audiências públicas, em todas as regiões da cidade.


2012 seta

Como não se candidatou a reeleição, em 31 de dezembro de 2012, Carlos Apolinario encerrou seu mandato como vereador da cidade de São Paulo, como líder da bancada do PMDB na Câmara Municipal.


2013 seta

Filiou-se ao PDT (Partido Democrático Trabalhista), partido pelo qual foi candidato a governador de São Paulo em 2006.


2014 seta

Atualmente é Presidente da Executiva Municipal da Capital e membro da Executiva Estadual do PDT de São Paulo.

Banner Rádio